Região Centro Oeste

Organizações da Via Campesina realizam mobilização em Sinop como forma de denúncia às violações de direitos humanos em conflitos ao hidro e agronegócio

Fotos: Caio Mota (Fórum Teles Pires)

Na última quarta-feira (19), organizações da Via Campesina do estado de Mato Grosso realizaram ato no município de Sinop, na ocasião do lançamento do Caderno de conflitos do campo brasileiro de 2016, publicado anualmente pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).  

Fruto da luta e organização do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), 61 famílias conquistaram a posse da primeira área de terra para assentar atingidos pela barragem de Serra da Mesa que foram desalojados com a formação do lago da usina.

A área adquirida pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), foi escriturado na posse da fazenda Água Forra, no município de Niquelândia região norte do Estado de Goiás.

Há um ano de terem suas casas inundadas pelas águas do lago da usina hidrelétrica de Sinop (MT), 204 famílias do ‘Assentamento Mercedes’ ainda não tem qualquer garantia dos seus direitos. Desde o início da construção das obras, há 3 anos, as pessoas que serão impactadas e terão que sair de suas casas sofrem com a falta de transparência da empresa Cia. Energética Sinop (CES), responsável pelas obras, em realizar um diálogo de negociação para indenização justa das famílias, uma obrigação da empresa determinada por lei para compensar e mitigar os impactos das obras.

A escola estadual Ênio Pepino promoveu nesta ultima sexta feira (14), a feira cientifica, evento que acontece anualmente na escola, entre as amostras desenvolvidas pelos estudantes estão o protótipo de uma hidroelétrica que representa a UHE Sinop e seus impactos.

A prisão do Valdir e do Luiz vem em um pacote de medidas que o governo de Goiás (Marconi Perilo – PSDB) vem tomando contra as mobilizações sociais, especialmente no conjunto das mobilizações contra o golpe.

O Movimento dos Atingidos por Barragens, em conjunto com o projeto “Canteiros” da UNEMAT e a Escola Ênio Pepino, vem desenvolvendo uma oficina de protótipo de uma hidroelétrica em Sinop (MT).

Cerca de 1.500 camponesas e camponeses ocuparam a sede da empresa DuPont Pioneer para protestarem contra a venda de sementes geneticamente modificadas para a agricultura.

A II Feira e Festa das Sementes, Mudas e Raças Crioulas: em Defesa da Biodiversidade faz parte da luta pela construção de um projeto de agricultura camponesa brasileira baseado na produção de comida saudável e diversificada.

Atingidos do assentamento da Gleba Mercedes 5 protestaram, nesta quinta-feira (07), em frente ao prédio da concessionária responsável pelas obras da Usina Hidrelétrica Sinop (UHE).

Doze anos após a conclusão das obras da barragem de Cana Brava, as famílias atingidas devem receber reparação pelos direitos violados pela empresa Tractebel Energia (GDF Suez).