Banner-site_Belo-Monte

Belo Monte

Após realizar a Assembléia Popular dos Atingidos pelas Barragens e Enchente do Rio Madeira, cerca de 1.000 atingidos e desabrigados do baixo, médio e alto Madeira ocupam canteiro de obras da UHE de Santo Antônio e reivindicam reunião com a diretoria do consórcio construtor.

Os manifestantes exigem que a Santo Antônio e Jirau assumam a responsabilidade e garantam:

1)  Indenização pela perda da produção, dos equipamentos domésticos, moradias, móveis e outros pertences;

Há quem nos chame de filhas da pauta

Há quem nos chame de filhos da outra

Toda madrugada do tempo traz um pingo da noite, que foi longa.

Somos parentes de outra realidade

Parteiras da rebeldia e da liberdade

Grávidos de sonho. 

Já sinto saudade do que ainda será!

É que o tempo não para e o caminho é infindo.

O término de tudo tem seu início

Após tantas vitórias que virão tudo estará apenas começando. 

Essa gente impactada negativamente pela barragem, porém – gentinha para muitos – está se metendo agora a ser dona do seu destino. Quem não tem dono e nem é dono de quase coisa alguma se propõe a ser dono do próprio nariz, e da história. Essa é, no momento, a coisa mais importante que vem acontecendo em Belo Monte: o despertar de um povo

Por volta de 200 atingidos por Belo Monte se reuniram na tarde desta quarta-feira (9 de abril) em uma assembleia popular para definir os próximos passos da luta pelo reassentamento urbano na cidade de Altamira. Os atingidos exigem celeridade da Norte Energia no reassentamento das famílias atingidas pois Altamira enfrenta uma das piores cheias dos últimos anos e mais de mil famílias estão desabrigadas.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) recebeu um recado da Norte Energia através da Casa de Governo ontem à tarde (03) de que 'a Norte está para Brasília' e que iria poder atender uma comissão que vem se reunindo todas as sextas-feiras para ouvir da empresa como está o andamento da garantia de garantia dos direitos das famílias atingidas, com urgência para as que estão com suas casas debaixo d'água. A comissão vinha se reunindo semanalmente desde as lutas do 14 de Março.

Quando a pauta ganha vida e anda na força do povo

O novo ensaia o adeus àquela mente viciada

que espera num ponto da estrada algum herói destemido com a tábua de salvação. 

 

O desafio agora é transformar a esperança do pão em consciência presente

Pois revolução é mais que estômago:

É ciência

É soberania

É força popular. 

 

Uma onda em ascensão que bate contra a pedreira

Que se espraia na areia

Que esbarra no paredão

Que pressiona o opressor

Que toma conta do mundo

Caso prazo não seja cumprido, será aplicada uma multa de R$ 500 mil, além de ser determinada a paralisação da obra

Luta não tem mesmo que pedir licença a ninguém! E quando vai além de eventos, anima o povo e faz avançar o direito.

“O governo do Pará não vai entrar com pedido de reintegração de posse”, garantiu representante para os moradores da Ocupação Novo Horizonte (Brasil Novo, PA)