Banner-site_Belo-Monte

Belo Monte

Da janela da cozinha da casa grande, no centro de Santa Inês – Maranhão, o visitante, de passagem pelo Estado rumo ao Ceará, no dia 16 de setembro, avista o cartaz enorme, com a estampa de Lobão Filho, então candidato ao governo do Maranhão pelo PMDB.

Um olhar mais acurado já perceberia o sentimento popular de soberania aglutinado por Flávio Dino, PCdoB, abafado pelo império econômico e caciquismo político. À época chamam a atenção algumas placas de sinalização de trânsito com a frase apelativa ‘fora comunistas!’.

Após muitos protestos, com reuniões, debates e várias paralisações da rodovia BR 263 (Transamazônica), inicia-se a construção de quebra-molas no seu trecho de alto risco, no perímetro urbano de Brasil Novo, cidade prejudicada pela barragem de Belo Monte.

Esse perigo veio crescendo com o asfaltamento, o aumento de fluxo de veículos e da velocidade dos carros e o crescimento dos bairros Daniel de Freitas, Valadares e Cidade Nova. O último acidente fatal ocorreu no dia 7 de julho de 2014, vitimando o senhor Assis, antigo vice-prefeito do Município.

Ser contra Belo Monte não é discursar, chorar, fazer pose, espernear, bater o pé e xingar quem quer que seja. Ser verdadeiramente contra Belo Monte nesse momento é fazer trabalho de base, articular as várias forças na perspectiva da luta unitária para sessar a violação do direito humano nas suas diferentes formas.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizou nesta quinta-feira (4 de setembro) a “Marcha pela Paz em Altamira: um grito por soberania”. A atividade, que percorreu as ruas da principal cidade atingida pela hidrelétrica de Belo Monte, teve o intuito de denunciar as violações de direitos ocorridas na região devido à construção da barragem, que já se encontra mais da metade concluída.

Em região com histórico de problemas fundiários, descaso da Norte Energia e postura do INCRA criam a fórmula para violação dos direitos dos atingidos por Belo Monte

Em meio às espertezas e despreparos, o Programa cumpre sua função principal, que é ser Boi de Piranha, entretendo o povo. Lideranças caolhas, e oportunistas, sentem-se satisfeitas, e se acham na condição de gestores de recursos quando, na verdade, estão disputando os fiapos de carne restantes nos ossos, já babados, lambidos, e alguns até jogados fora

Nesta terça-feira (5 de agosto), os paraenses foram para a rua dizer um basta aos abusos da Celpa (distribuidora de energia do Pará). A empresa recebeu autorização da Aneel para aumentar a conta de luz em 34,41%. O anúncio foi feito hoje. A empresa havia pedido à Aneel autorização para aumentar a tarifa de luz em 37,07%, mesmo sendo considerada uma das piores distribuidoras de energia do país. 

Nesta terça-feira (5 de agosto), os paraenses foram para a rua dizer um basta aos abusos da Celpa (distribuidora de energia do Pará). A empresa pediu à Aneel autorização para aumentar a tarifa de luz em 37,07%, mesmo sendo considerada uma das piores distribuidoras de energia do país. O reajuste, se autorizado, será anunciado no próximo dia 7 de agosto.

O MAB vêm a público denunciar a utilização dos “interditos proibitórios” como forma de impedir o exercício do direito de livre manifestação e expressão, bem como com o intuito de perseguir defensores de direitos humanos, prejudicando as causas por estes defendidas