Banner-site_Belo-Monte

Belo Monte

The Canadian mining company Belo Sun plans to extract gold from the region of Volta Grande do Xingu and “bought” public land without consulting the Federal Institute for Colonization and Agrarian Reform – INCRA. The denounce, was made by the INCRA during the public audience held by the Public Ministry of the state of Pará (MPE), due to the demand of the people affected by the open gold mining projects in Brazil.

A mineradora canadense Belo Sun, que pretende extrair ouro da região da Volta Grande do Xingu, adquiriu terras públicas sem consultar o Incra, denunciou servidor do órgão. A denúncia da irregularidade aconteceu durante audiência pública convocada pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPE), como atendimento a uma demanda dos atingidos pelo maior projeto de mineração de ouro a céu aberto do Brasil.

“Enquanto o Brasil todo se mobiliza contra o mosquito Aedes a Norte Energia pretende deixar a centenas de famílias, incluindo dezenas de grávidas e crianças, em uma área de risco a saúde coletiva”

Cerca de 300 atingidos por Belo Monte organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) se reuniram ao final da tarde de ontem (27 de janeiro) com o IBAMA, Casa de Governo, Defensoria Pública da União e a Norte Energia. Eles vivem no bairro Independente II, na área urbana de Altamira, local previsto para alagamento permanente de onde, até o momento, nenhuma família foi removida.

Cerca de 200 pessoas protestaram na manhã de hoje em frente à prefeitura de Vitória do Xingu (PA). Elas são atingidas pelo projeto do governo municipal de construção do cais da cidade. 

Obrigação de reestruturar a Fundação Nacional do Índio, prevista como condicionante em 2010 e nunca cumprida, foi determinada também por liminar. Mesmo assim, até hoje permanece atrasada


A cidade, cmoo outras da região, sofre com a alta no custo da moradia devido à hidrelétrica de Belo Monte

O Brasil terá de responder na OEA (Organização dos Estados Americanos) as denúncias de violações de direitos humanos causadas pela construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Pará. 

Integrantes do Grupo de Trabalho que discute Empresas e Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) estiveram em Altamira neste domingo (13) para checar as denúncias de violações de direitos humanos provocadas pela construção da hidrelétrica de Belo Monte.

Depois de extensa investigação, procuradores concluem que o projeto de desenvolvimento do governo brasileiro promove a destruição da organização social, costumes, línguas e tradições de povos indígenas.