Banner-site_Belo-Monte

Belo Monte

Na tarde desta quarta feira (24), a presidenta do IBAMA, Suely Mara Vaz Guimarães de Araújo, e a diretora de licenciamento ambiental (DILIC), Rose Mirian Hofmann, reuniram com cerca de 500 pessoas organizada no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), na comunidade Independente 1, em Altamira, no Pará.

Fotos: Rogerio Soares

A Norte Energia afirma que já encerrou o processo de remoção das famílias da área do lago de Belo Monte em Altamira. Essa, no entanto, é uma meia-verdade. Hoje Maria Lúcia da Silva Mota vive hoje praticamente isolada de uma área de onde a empresa já removeu todos os seus vizinhos.

Os moradores da lagoa do bairro Independente 1 organizados no Movimento do Atingidos por Barragens (MAB) fizeram um protesto na sede do Ibama em Altamira na manhã desta quarta-feira (20). Eles exigem que o órgão obrigue a Norte Energia a reconhecer os impactos de Belo Monte no local.

Nesta terça e quarta-feira (28 e 29 de junho) os atingidos por Belo Monte organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) fizeram protestos para exigir da Norte Energia, dona da barragem, que garanta os direitos dos atingidos. Os manifestantes denunciam que Belo Monte já está gerando energia, mas ainda há direitos elementares – como moradia e água, que não foram garantidos em sua plenitude.

O Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB) recebeu da Câmara Municipal de Altamira uma moção de reconhecimento pelo trabalho prestado junto aos atingidos por Belo Monte.

A moção foi apresentada pelo Vereador João Roberto (João do Biscoito) e aprovado por unanimidade. Segundo o legislativo municipal, a luta do MAB tem garantido direitos aos moradores de Altamira. E citam também os esforços do MAB pela instituição da politica nacional de direitos dos atingidos por barragens (PNAB) como uma importante luta nacional do Movimento.

A portaria editada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em 10 de junho, que paralisa por 90 dias ações em prol dos direitos humanos já surte um efeito nocivo na apuração de denúncias de populações vulneráveis.

A empresa VogBr, responsável pelo estudo de estabilidade da barragem de Fundão, que rompeu causando a morte do Rio Doce, em Mina Gerais, também atestaram a viabilidade da barragem de rejeitos do projeto da Belo Sun, empresa que quer extrair ouro às margens do rio Xingu no Pará.

Centenas de moradores do bairro Independente 1 ocuparam a Casa de Governo em Altamira nesta segunda-feira (20 de junho) para cobrar do Ibama que se posicione quanto à situação de permanente alagamento no bairro após o fechamento do reservatório da hidrelétrica de Belo Monte. Os manifestantes, organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) exigem que o órgão obrigue a Norte Energia (dona de Belo Monte) a reconhecê-los como atingidos e lhes garanta o direito ao reassentamento.

A Norte Energia vai ter que fazer um levantamento das casas onde está minando água no bairro Independente 1, em Altamira, e apesentar uma avaliação das causas do alagamento. Há diversas casas no entorno da lagoa do bairro que estão permanentemente alagadas. O fenômeno passou a acontecer após o fechamento do reservatório da hidrelétrica de Belo Monte.

É com imensa tristeza que comunicamos a todos os companheiros e companheiras o falecimento de Maria de Jesus, a dona Duda, militante do MAB em Brasil Novo (PA). Duda veio a falecer na noite de terça-feira (7 de junho), em decorrência de complicações causadas por uma hepatite contra a qual lutava já havia vários anos*.