Jirau

Empresa responsável pela usina não tem prestado auxílio a pescadores da vila de Abunã, da líder assassinada Nicinha

Cerca de 150 atingidos pelas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio em Rondônia, organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), trancaram o acesso à barragem de Santo Antônio na madrugada desta terça feira (09). 

A exposição, que já passou pelo Memorial da América Latina (SP), chega agora ao Museu da Memória, na Universidade de Rondônia (UNIR)

Depois de anos sofrendo com impactos de Jirau e Santo Antônio, em Porto Velho-RO, Governo Federal define o remanejamento da população do distrito e a comunidade é a última a ser informada

Era 19 de julho de 2015, um domingo, saímos cedo de Porto Velho-RO rumo ao distrito Nova Mutum-Paraná, no meio da Amazônia, a 106km da capital rondoniense, e de lá seguimos até o acampamento do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) nas margens da BR 364. 

Hoje (27) pela manhã, militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens trancaram a BR 364, que liga o Acre a Rondônia.

Nilce de Souza Magalhães, 50 anos, mais conhecida como ‘Nicinha’, mãe de três filhas, vó de sete netos, pescadora e militante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) em Rondônia, desapareceu esse último dia 7 de janeiro, depois de ser vista pela última vez na barraca de lona onde mora com seu companheiro, Nei, em um acampamento com outras famílias de pescadores atingidos pela Hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira, na localidade chamada de “Velha Mutum Paraná”, na altura do km 871 da BR 364, sentido Porto Velho-Rio Branco.

Os últimos meses tem sido de muita mobilização para os atingidos pelas barragens de Santo Antônio e Jirau e pelas cheias do Rio Madeira em 2014. No dia 16 de abril, 564 casas que estavam abandonadas em Nova Mutum foram ocupadas pelas famílias que viviam em locais improvisados, moravam de favor na casa de terceiros ou estavam com aluguéis atrasados pelo não ressarcimento do consórcio responsável pela UHE de Jirau e pela desestruturação de milhares de famílias na região de Jacy Paraná, distrito de Porto Velho.

O Comitê Estadual de Rondônia realizou lançamento do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana, no município de Candeias do Jamari.

After the historical flood in Rio Madeira, thousands of families were displaced. The two mega hydro-power plants of Santo Antônio and Jirau left a trail of destruction in the region. Since the beginning of the flood people affected have mobilized and presented proposals for ensuring their rights. Without concrete response, the families resisted the relocation to a concentration camp in canvas tents and occupied the Santo Antonio power plant to charge solutions of the government and the electric companies