Jornada de Lutas

Aconteceu nessa sexta-feira (11 de março) o seminário estadual Energia, Educação e Indústria no Brasil em Belém (PA). A atividade foi construída pela Plataforma Operária e Camponesa da Energia como parte da Jornada Nacional de Lutas dos atingidos por barragens e trabalhadores do setor da energia.

Na parte da manhã, integrantes das organizações que constroem a Plataforma trouxeram um panorama da ofensiva neoliberal nos setores da eletricidade, petróleo e educação. Os debates apontaram a centralidade de defender a Petrobrás e os recursos do pré-sal para a saúde e educação.

A reunião é um desdobramento da Jornada de Lutas do MAB, realizada em março, e do acordo firmado como governo federal após a mobilização, que reuniu milhares de atingidos em todo o país.

Integrantes da Via Campesina, juntamente com sindicatos, professores, juventude e Pastorais Sociais, ocuparam a sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Montes Claros (MG), nesta terça-feira (6).

 Após o anúncio das medidas que serão adotadas pelo governo na retomada do processo de reforma agrária, os movimentos que compõem a Via Campesina estão se organizando para fazer mais pressão. De imediato, o governo vai liberar R$ 400 milhões para a aquisição de terras destinadas a novos assentamentos.

Da Rede Brasil Atual

Os trabalhadores rurais da Via Campesina participaram, nesta quinta-feira (26), de uma audiência pública com o ministro de Comunicação Social, Paulo Bernardo. No encontro, os movimentos sociais reivindicaram políticas públicas para o campo voltadas à inclusão digital.

Após uma semana de lutas, o Acampamento Nacional da Via Campesina, instalado em Brasília, chegou ao seu final nesta sexta-feira (26), com o retorno positivo do governo às reivindicações da organização.