Jornada de Lutas

Cerca de 4.000 integrantes de movimentos da Via Campesina ocuparam na manhã desta terça-feira (23) o prédio do Ministério da Fazenda, em Brasília. O objetivo é pressionar o governo para negociar pontos de reivindicação dos camponeses.

Cerca de 1500 camponeses da Via Campesina ocuparam a sede nacional do DNOCS e 800 trabalhadores da Assembléia Popular ocuparam a Caixa Econômica Federal, em Fortaleza, nesta madrugada, 23.

Começou nesta segunda-feira (22) o acampamento da Jornada Nacional de Lutas da Via Campesina e da Assembleia Popular no estádio Nilson Nelson, em Brasília. Participam da atividade cerca de 4.000 camponeses e trabalhadores.

Homens, mulheres e crianças engajados na luta pelo direito a terra se mobilizaram no último domingo (21) às margens da rodovia TO-010 para iniciar uma grande marcha rumo à cidade de Porto Nacional/TO. A proposta é conscientizar a sociedade sobre a situação destas famílias que pedem a inclusão da fazenda Dom Augusto, localizada no município, para fins de reforma agrária.

Durante o dia de hoje (22), representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) participaram da mobilização organizada pelo sindicato dos urbanitários e eletrecitários da Paraíba. A mobilização aconteceu em frente a sede da Energisa, a distribuidora de energia da Paraíba, na BR 230, em Campina Grande/PB.

Segundo Osvaldo Bernardo, do MAB, os trabalhadores da Energisa estão vivendo em condições desumanas de trabalho e a relação da empresa (multinacional) com os trabalhadores é péssima, inclusive com demissões e afastamento dos dirigentes sindicais.

Cerca de 350 integrantes da Via Campesina ocuparam nesta manhã (22) a sede da Superintendência Regional do Incra, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Jornada Nacional de Lutas da Via Campesina inicia com atos nas regiões Norte e Nordeste do país. Nesta segunda-feira (22), mais de 300 manifestantes bloqueiam a rodovia BR 364, no estado de Rondônia. Outra ação ocorre na Bahia, onde 400 pessoas realizam um acampamento em frente à Universidade do Vale do São Francisco, na cidade de Juazeiro.

Na manhã de hoje (22) iniciou-se o acampamento contra Belo Monte e em defesa dos direitos dos atingidos na cidade de Altamira. O acampamento é organizado pelo MAB e dezenas de atingidos pela barragem já se encontram no local, que deverá receber mais pessoas a partir de amanhã, principalmente das vilas e bairros da cidade, onde durante nas duas últimas semanas foram realizada visitas às famílias com a brigada de agitação e propaganda.

Cerca de 300 pessoas da Via Campesina iniciaram um acampamento nesta manhã (22/08) em Juazeiro, na Bahia, em frente à Universidade do Vale do São Francisco. Entre as pautas a serem discutidas estão a problemática das barragens na região, o uso abusivo de agrotóxicos pelos fazendeiros e o endividamento agrícola dos agricultores.

Mais de trezentos manifestantes bloqueiam nesta manhã (22/08) a rodovia BR 364, próximo ao município de Itapuã do Oeste, em Rondônia. A ação é organizada pelo MAB, com participação de trabalhadores e agricultores da região, atingidos pela Usina Hidrelétrica de Samuel, construída a mais de 26 anos.