Ameaçados por binacional aumentam produção de alimentos saudáveis

Recentemente os agricultores do município de Alecrim, Rio Grande do Sul, ameaçados pela construção do Complexo Hidrelétrico Binacional Garabi começaram a implantar experiências de produção de alimentos saudáveis em suas propriedades, utilizando o programa Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS).

As famílias ribeirinhas organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) recebem orientações técnicas da instalação do galinheiro, irrigação e outros itens para implementação das hortas.

O objetivo dessa experiência é, além de fortalecer a organização dos camponeses, produzir alimentos saudáveis para a subsistência das famílias e geração de renda através da venda do excedente da produção.  De acordo com Marcio Caldart, tecnólogo em agroecologia do MAB, a aplicação desta técnica evita o uso de insumos químicos, diversificando a produção e alcançando a sustentabilidade em pequenas propriedades.

As famílias afirmam que continuaram investindo em suas propriedades e resistindo contras as barragens projetadas para o trecho internacional do Rio Uruguai. “Queremos através da produção de alimentos mostrar que é possível contribuirmos para o desenvolvimento de nossa região sem barragens e melhorar a qualidade de vida das pessoas”, explicou Tereza Pessoa, moradora da comunidade Barra do Santo Cristo.

Atualmente, o MAB constrói uma estratégia que tem como objetivo produzir energia e alimentos agroecologicos, exigindo do Estado Brasileiro políticas públicas que favoreçam a produção, industrialização e comercialização dos produtos da agricultura camponesa.