Atingidos cobram direitos na hidrelétrica de Aimorés, em MG

Neste 14 de março, Dia Internacional de Lutas contra as Barragens, militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizam na cidade de Aimoré (MG) uma Audiência Publica para discutir a violação dos Direitos Humanos com a construção da Hidrelétrica de Aimorés.

Centenas de famílias atingidas se mobilizam pra cobrar coletivamente uma resposta da empresa para as demandas de saúde, educação, transporte e saneamento. Uma das reclamações é que a hidrelétrica contamina as águas da região causando diversos problemas à saúde das pessoas, no entanto, não investe em melhorias nas cidades atingidas.

Segundo o relatório do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humanos aprovado em 2010, as empresas do consorcio da hidrelétrica de Aimorés, Vale e Cemig, são as empresas que mais violam direitos humanos. “O que chama a atenção no relatório é o alto grau de violação de direitos humanos. Ao todo são 11 direitos violados pela obra, antes, durante e depois da construção da barragem”, disse uma das lideranças.

A audiência terá inicio às 14 horas e no encerramento as famílias farão uma grande marcha pela cidade em denuncia a exploração sofrida pela construção da obra. São esperados cerca de 400 atingidos para a mobilização.

Reivindicações dos atingidos

- Pagamento da dívida social e garantia dos direitos da população atingida pela barragem;

- Que os lucros adquiridos com a venda da energia possa melhorar a vida da população;

- Melhores condições de trabalho aos trabalhadores e trabalhadoras;

- Imediata manutenção e criação de obras públicas para melhorias das cidades atingidas;

- Pagamento da dívida com todos os trabalhadores que não tiveram ou não foram indenizados adequadamente.