Atingidos por hidrelétrica binacional iniciam produção de alimentos saudáveis no RS

Os agricultores que serão atingidos pela hidrelétrica binacional de Panambi, no município de Alecrim, Rio Grande do Sul, iniciaram experiências de produção de alimentos saudáveis em suas propriedades, utilizando o programa Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS), através da organização do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Ontem (9), os atingidos participaram de de um curso de capacitação para a instalação das hortas. Além da analise de conjuntura da agricultura, Marcio Caldart, militante do Movimento, apresentou as demandas do projeto e seu processo de instalação.

Serão construídos no município de Alecrim 25 unidades do PAIS, de mais de 800 a serem construídas pelas famílias atingidas por barragens em todo o país. O PAIS consiste em uma horta circular com um galinheiro no centro e um pomar em torno. Com ele se produz hortaliças, frangos, ovos e frutas sem utilização de agrotóxicos e adubos químicos.

As famílias de Alecrim beneficiadas irão aprender coletivamente a construir a tecnologia em forma de multirão para darem sequência na implementação. De acordo com Neudicléia de Oliveira, da coordenação do MAB, o objetivo dessa experiência é fortalecer a organização dos atingidos por barragens na região, produzindo alimentos saudáveis para a subsistência das famílias e a geração de renda através da venda dos alimentos.

A capacitação de agricultores e a multiplicação das unidades do PAIS é uma conquista da luta dos atingidos por barragens que resultou na parceria entre o MAB, a Fundação Banco do Brasil (FBB) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).