Juventude Atingida rumo ao 8º Encontro Nacional do MAB

De 1 a 5 de outubro, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizará seu 8º Encontro Nacional na cidade do Rio de Janeiro, com 4000 atingidos de 21 estados brasileiros e aliados de luta. O MAB realizará seu encontro em um momento difícil para a classe trabalhadora mundial. Internacionalmente, os países com governos progressistas ou que se opõem a lógica neoliberal são atacados pelos setores mais ferozes do imperialismo, um exemplo disso é a Venezuela. No Brasil, vivemos as consequências de um golpe, no qual direitos conquistados historicamente pelos trabalhadores e trabalhadoras estão sendo retirados, e as riquezas do povo brasileiro estão sendo entregues aos países mais ricos do mundo.

Por Roberto Carlos Oliveira*

Neste sentido, o povo brasileiro, especialmente a juventude, passa a ser alvo de uma série de golpes. Do jeito que vai a carruagem, os jovens brasileiros não conseguirão a sonhada aposentadoria e não terão acesso à educação e saúde nos próximos anos. A elite brasileira e o governo golpista estão entregando uma das maiores reservas de petróleo do mundo (pré-sal) que garantiria, por lei, recursos para saúde e educação.

Os jovens, homens e mulheres na sua diversidade, têm o dever de lutar contra esses golpes, que retira da juventude o sonho de um futuro digno e feliz. A luta contra as medidas golpistas e em defesa da soberania nacional deve animar e alimentar nossa disposição militante para esse período que se apresenta. Lutar pelo petróleo brasileiro é, sem duvida nenhuma, uma das principais bandeiras da juventude brasileira, pois é a esperança de um futuro digno para cada criança brasileira.

Por este motivo, o compromisso da juventude atingida por barragem cresce nos preparativos para nosso 8º Encontro Nacional do MAB, que trará o tema da soberania energética no centro dos debates e lutas. No encontro também discutiremos o legado da revolução russa para os trabalhadores e os desafios da construção de uma sociedade alternativa ao capitalismo.

A juventude do MAB tem a importante tarefa de construir, participar e animar nosso Encontro. A defesa da soberania e dos direitos devem guiar nossas lutas. A fé na construção de um novo modelo de sociedade, na qual os recursos naturais e as riquezas do país sejam justamente distribuídos sob controle popular, deve ser nossa certeza de futuro.

Viva o 8º Encontro Nacional do MAB!

Água e energia com soberania, distribuição da riqueza e controle popular!

*Roberto Carlos Oliveira é estudante em História pela Universidade Federal da Paraíba e integrante da coordenação estadual do MAB no Ceará.