MAB realiza 8º Encontro Nacional no Rio de Janeiro em outubro de 2017

Entre os dias 1 e 5 de outubro, aproximadamente 4 mil atingidos e atingidas de todas regiões do Brasil se reunirão na capital carioca para celebrar e apontar os próximos passos do movimento

Foto: Joka Madruga

Durante os dias 1 a 5 de outubro de 2017, no aniversário de cem anos da Revolução Russa, o Rio de Janeiro receberá o 8º Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens. Com o lema “Água e energia com soberania, distribuição da riqueza e controle popular”, o evento reunirá cerca de 4 mil atingidos de todas as regiões do Brasil.

Desde o último Encontro Nacional do MAB, que ocorreu em Cotia (SP) em setembro de 2013 e reuniu aproximadamente 3 mil pessoas, o movimento expandiu sua área de atuação – de 17 para 19 estados -, conquistou diversas vitórias, mas também passou a enfrentar novos desafios. 

Como diria o líder revolucionário soviético Vladimir Ilitch Lenin, “há décadas em que nada acontece e há semanas em que décadas acontecem”. Nesse período de 4 anos que separa o último grande encontro dos atingidos por barragens, o Brasil sofreu um golpe e setores da burguesia iniciaram uma grande ofensiva sobre a classe trabalhadora.

Para a integrante da coordenação do MAB, Alexania Rossato, o atual momento político brasileiro e latino-americano é grave e necessita do fortalecimento e união da esquerda nacional. “Apesar de crescimento do nosso movimento, o campo popular e a democracia brasileira sofreu um duro golpe. Vivemos um momento de grandes retrocessos e apenas com muita união e força do povo conseguiremos reagir”, analisa.

Objetivos

Os três principais objetivos desse 8º Encontro são: 1) consolidar a união entre campo e cidade, com o estreitamento da relação entre atingidos por barragens e trabalhadores do setor elétrico; 2) reafirmar a necessidade da criação de um modelo energético popular para o Brasil; 3) realizar uma grande pressão popular pela aprovação da Política de Direitos para as Populações Atingidas por Barragens (PNAB).

Além disso, o Encontro pretende reunir os atingidos por barragens de todo Brasil para celebrar a vida, partilhar vitórias, ampliar as conquistas, trocar experiências, consolidar nossa força própria e organização, discutir temas que afetam a vida cotidiana, planejar e decidir as futuras lutas.

Outro ponto importante é fortalecer a unidade, alianças e a presença das organizações aliadas nacionais e internacionais, do campo e da cidade.

Também será um tópico central a denúncia do atual modelo energético, as violações de direitos, os crimes sociais e ambientais das empresas e toda exploração praticada sobre as populações atingidas e o povo brasileiro.

Além disso, o Encontro servirá como oportunidade para a realização de uma avaliação crítica sobre o legado histórico que a revolução Russa - que em 2017 completa 100 anos - trouxe para a humanidade.

A partir dessa experiência histórica, o MAB pretende debater conjuntamente os desafios para a construção de uma nova sociedade, que seja capaz de transformar pela raiz todas as estruturas injustas e construir um futuro melhor para todos e todas, onde o trabalho e a natureza sejam respeitados e cuidados para se atingir um alto grau de desenvolvimento humano com a adequada sustentabilidade ambiental.

Importância do Encontro

Realizar um encontro nacional de atingidos por barragens é sempre um motivo de alegria, responsabilidade e de grande importância. É o momento em que toda militância, jovens, mulheres, homens, crianças, amigos e aliados reúnem-se nacionalmente e são chamados a refletir e tomar decisões importantes sobre a vida e futuro da luta e organização dos atingidos.

Pelo seu método e processo organizativo, o MAB organiza o encontro nacional a cada quatro anos como uma forma de avaliar e decidir as linhas de ação para os anos futuros.

Local e data

A escolha da cidade do Rio de Janeiro como local para sediar o 8º Encontro Nacional do MAB foi definida devido a grande importância geopolítica e potencialidade energética da cidade. Dentro do seu perímetro está grande parte do pré-sal, uma das maiores reservas de petróleo do mundo, a Petrobrás, um dos maiores e mais importantes patrimônios do povo brasileiro, e a Eletrobrás, estatal de energia elétrica. Atualmente, toda esta riqueza e patrimônio do povo estão sendo privatizados e entregues às empresas internacionais.

Para o MAB, é dever do povo brasileiro lutar para que tudo isso esteja a serviço dos trabalhadores e trabalhadoras. É um local que simboliza a luta na energia por soberania, distribuição da riqueza e controle popular.

Representação do Encontro

O movimento deve garantir a presença de atingidos por barragens, com a participação plena de homens, mulheres, jovens e crianças, de toda militância e lideranças que coordenam os grupos de base, a organização e a luta dos atingidos, pertencentes de todos estados brasileiros.

Garantir a participação e solidariedade das organizações aliadas, parceiros, lideranças políticas, entidades e lideranças religiosas e amigos do MAB das diversas partes do Brasil e do mundo, como as organizações da Plataforma Operária e Camponesa de Energia, Via Campesina, Frente Brasil Popular, Movimento de Afetados por Represas (MAR) e entidades internacionais.

Todos lutadores e lutadoras no Brasil e no mundo, sintam-se convidados e acolhidos desde já!

Plantar a semente da resistência e da Esperança - Rumo ao 8º encontro nacional