Banner-site_Belo-Monte

Pescadores bloqueiam acesso a canteiro de Belo Monte

Cerca de 800 pescadores bloquearam a entrada de um dos canteiros de obras de Belo Monte nesta quarta-feira (17). O objetivo é reivindicar compensações para a atividade pesqueira no Xingu, impedida pela construção da hidrelétrica.

Entre as reivindicações está a construção de portos de embarque e desembarque de pescados, indenização pelo tempo de impedimento da pesca e para todos os removidos de suas áreas, garantia de assistência técnica, entre outras. Participam da atividade pescadores dos municípios de Altamira, Vitória do Xingu, Souzel, Porto de Moz e Gurupá. A ação tem apoio do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Levante Popular da Juventude, entre outras organizações.

Os pescadores se reuniram com representantes da Norte Energia, a dona da barragem, antes da ocupação. No entanto, como já é prática da empresa, foram enviados profissionais sem poder de decisão. Diante da enrolação, os pescadores decidiram bloquear o acesso ao canteiro e lá permanecerão até ter uma resposta satisfatória à sua pauta.

“Viemos preparados para passar dias se for necessário”, afirmou Pedro, um dos pescadores, morador de Altamira. No ano passado, os pescadores já chegaram a passar dois meses acampados em uma das áreas do canteiro de obras, no entanto, as negociações não avançaram. A empresa chegou a afirmar que não há impactos significativos sobre a pesca.

Também participam do movimento os trabalhadores de olarias artesanais de Altamira, que terão suas atividades extintas após o alagamento permanente das áreas de argila na cidade. Além disso, muitos pescadores e oleiros são moradores das áreas alagadas de Altamira e estão sendo expulsos de suas casas pela Norte Energia sem uma proposta de reassentamento justa.