Poesia do Encontro Nacional 2013

O NOSSO SONHO

O sonho voa latente nesse clima de 'verão'

Aquele 'farelo de pão' conquistado com a luta

Aumenta cada vez mais a fome de liberdade

Por que não o pão inteiro:

Amassado

Fermentado

Na festa dos camaradas na tomada do poder?

 

O sonho é de rebeldia semeado em nossa história

Memória viva da luta da classe trabalhadora

Ditadura Militar

Sobe o muro da barragem:

Expropriados

Afogados

A coragem se levanta num grito de resistência

 

O sonho se alimenta de nossa indignação

A antiga privatização ganha novos apelidos

O atingido sente retroceder o seu direito

E a crise sorrateira da gula do capital

Engole a água e a terra pra fazer mercadoria.

 

O sonho ganha energia operária e camponesa

Quem produz toda a riqueza constrói a sua unidade

Uma aliança ampla: do tamanho da cumplicidade

Pois empreitada tão grande é obra de muitas mãos.

 

O sonho é convicção ciente dos desafios:

Implementar nossa estratégia em todo o nosso Brasil

Ser exemplar no compromisso com o trabalho de base

Suar bem a camisa pela nossa autonomia

Promover a formação como instrumento de luta.

 

O ar se enche de sonho com cheiro de tempo novo

De abraçar esse povo com os olhos da utopia

O lobo se enfurece

Treme o centro do poder

Mas o novo vai nascer:

Com a energia da gente

Com a nossa soberania

Com a luta seguindo em frente com controle social. 

 

Viva a nossa preparação para o Encontro Nacional do MAB.